O que é a Psicronos?

A Psicronos é uma plataforma gregadora de psicoterapeutas altamente qualificados, que exercem autonomamente a sua atividade clínica, sem qualquer vínculo profissional à Psicronos.

Como posso saber se necessito de consultar um psicólogo?

Sempre que:

  • Sentir que está diferente e se sentir incomodado com essa diferença
  • Apresentar sintomas de qualquer perturbação psíquica, por exemplo, medos irracionais, ansiedade, alterações de humor, descontrolo dos impulsos, propensão a beber de mais ou a consumir drogas, alterações do seu comportamento sexual, insegurança excessiva, estados depressivos, etc. 
  • Se perdeu um familiar querido ou se teve que enfrentar uma situação de vida potencialmente traumatizante
  • Se tem uma doença crónica ou incapacitante
  • Se tem crises de pânico
  • Se tem alguma doença física com uma forte componente psicossomática como, por exemplo, alergias, perturbações gastrointestinais, perturbações de pele (queda de cabelo, eritemas, urticária, etc.), tensão arterial alta e outras.
  • Se se sente triste e sem vontade de viver
  • Se tem uma baixa autoestima e dificuldades a nível escolar e/ou profissional
  • Se se emociona com excessiva facilidade
  • Se os outros o acusam de ser egoísta, frio e distante
  • Se tem dificuldade em encontrar um parceiro amoroso que o(a) satisfaça(o)
  • Se tem dificuldade em manter as relações amorosas (salta de namorada(o) frequentemente)
  • Se se sente excessivamente cansado e desmotivado e os médicos não encontram uma causa física que o justifique
  • Se está preocupado com o seu filho
  • Se tem o sentimento que a sua relação conjugal está a sofrer o desgaste do stresse do dia-a-dia e teme a rotura

A lista é interminável, se tiver dúvidas envie-nos um e-mail com a sua situação particular que nós tentaremos ajudá-lo(a) a perceber se deve ou não procurar um psicólogo.

Os psicoterapeutas que aparecem no corpo clínico trabalham para a Psicronos?

Os psicoterapeutas que aparecem no corpo clínico não trabalham para a Psicronos. Os psicoterapeutas agregados são trabalhadores independentes que prestam serviços clínicos diretamente ao cliente/paciente. A Psicronos não se responsabiliza em momento algum pela qualidade dos serviços clinicos prestados pelos terapeutas. A responsabilidade clinica, civil e fiscal é integralmente dos terapeutas que prestam o serviços clinicos.

Quem tem obrigação de passar as faturas/recibos pelas minhas consultas?

A obrigação de passar fatura ou recibo pelos serviços prestados (consultas) é exclusivamente do terapeuta que prestou esse serviço, e não da Psicronos.

Preciso de fatura/recibo a quem peço?

Deve pedir o recibo ou fatura da sua consulta ao seu terapeuta/psicólogo.
Cada terapeuta tem a obrigação de passar fatura ou recibo pelos serviços prestados aos seus clientes.
A Psicronos não se responsabiliza por falhas dos terapeutas ou psicólogos no cumprimento das suas obrigações legais. 

Quero apresentar queixa de um terapeuta ou psicólogo. Como devo proceder?

Cada terapeuta dispõe de um livro de reclamações referente à sua atividade clínica. 

Além disso, se o seu terapeuta for psicólogo poderá apresentar queixa na ordem dos psicólogos.

Veja as indicações da Ordem dos psicólogos aqui https://www.ordemdospsicologos.pt/pt/apoio_utente

Caso queria alertar a Psicronos para qualquer incorrecção de um terapeuta ou psicólogo listado no nosso corpo clínico deverá fazê-lo através de email para ana.almeida@psicronos.pt  ou ligar para o nosso secretariado.

A Psicronos agradece todos os alertas que os clientes dos nossos terapeutas e psicólogos considerarem úteis. 

Como marcar uma consulta?

Para marcar uma consulta pode ligar para o nosso secretariado 21 314 53 09 ou preencher o formulário Marque consulta.

Se ligar para o secretariado, a nossa rececionista irá solicitar-lhe o seu contacto pessoal, o tipo de consulta que pretende marcar e registar qualquer especificidade em relação à receção de uma chamada da nossa parte, por exemplo, se só preferir que lhe liguemos de manhã ou à hora de almoço, ou qualquer outra limitação. Depois, um psicólogo irá entrar em contacto consigo (respeitando as suas indicações) para efetivar a marcação. Durante a conversa telefónica com o psicólogo poderá tornar-se claro que deverá marcar um tipo de consulta diferente daquela que tinha solicitado inicialmente e nesse caso, o psicólogo poderá encaminhá-lo para um outro colega.

Se nos enviar um e-mail com a descrição da sua situação, nós iremos responder tentando ajudá-lo a perceber qual o tipo de consulta mais adequado para a sua situação específica e após uma troca de alguns e-mails estabelecemos o psicólogo que o irá receber e marcamos a hora para esse encontro.

O que esperar na primeira consulta?

No gabinete do psicólogo, será convidado a sentar-se numa nas poltronas e a contar o motivo que o levou a marcar a consulta.

Durante a primeira consulta (entre 50 a 90 minutos) o psicólogo irá ouvi-lo atentamente e tentar perceber os motivos profundos do seu pedido, elaborando mentalmente um "diagnóstico" sobre a situação e a sua personalidade. Após ter chegado a uma conclusão, o psicólogo irá dizer-lhe aquilo que ele considera mais adequado face a tudo o que lhe contou. Por vezes, uma única entrevista não é suficiente para permitir a compreensão profunda do que se está a passar e o psicólogo poderá propor-lhe que vá a mais uma ou duas entrevistas para obter a informação necessária a perceber exatamente o que é melhor para si ou poderá propor-lhe a realização de uma avaliação com recurso a testes psicológicos.

No fim da consulta o psicólogo irá recolher alguns dados sobre si, nomeadamente o seu nome completo, a sua morada, os seus contactos e o seu número de contribuinte para a faturação do serviço prestado. Se o cliente quiser manter o anonimato não tem que fornecer a totalidade desta informação.

Quanto tempo demora uma primeira consulta?

A primeira consulta pode demorar entre 50 a 90 minutos, dependendo da complexidade do pedido e de outros factores que o psicólogo terá em conta.

Quanto tempo demoram as consultas?

O tempo de duração de cada consulta varia de acordo com o tipo de consulta.

  • Entrevista de Avaliação e Diagnóstico - Entre 50 a 90 minutos
  • Sessão de Psicoterapia Psicanalítica - Entre 45 a 50 minutos
  • Sessão de Psicoterapia de Apoio - Entre 50 a 60 minutos
  • Sessão de Psicoterapia Cognitivo-comportamental - Entre 50 a 60 minutos
  • Sessão de Terapia de Casal - Entre 60 a 90 minutos
  • Sessão de Terapia Familiar - Entre 60 a 90 minutos
  • Sessão de Hipnose Clínica - Entre 60 a 90 minutos
  • Sessão única de Hipnose Clínica para Deixar de Fumar - Entre 210 a 270 minutos

O que devo fazer se não puder ir a uma sessão que já estava marcada?

Se não puder ir a uma sessão que já estava marcada deve avisar o seu psicoterapeuta, de preferência para o contacto que ele lhe forneceu quando efetuou o contrato terapêutico. 

Quando falar com o seu psicoterapeuta deve avisá-lo de que irá faltar e, se for possível, o seu psicoterapeuta irá propor-lhe uma outra hora e dia para repor a sessão em falta. 

Aquilo que disser numa consulta será confidencial?

Sim. Tudo aquilo que disser a um psicólogo numa sessão é estritamente confidencial. O psicólogo estará eticamente obrigado a manter em rigoroso sigilo de tudo aquilo que lhe disser. Apenas poderá revelar alguma das coisas que lhe disse a outras pessoas, a seu pedido, ou em total concordância consigo. A única exceção a esta regra é a troca de informação entre psicólogos. Por vezes torna-se necessário pedir a opinião num determinado caso ou situação a outro colega, para que a pessoa possa ser ajudada da melhor forma possível. Contudo o psicólogo que ouvir a história (que será contada sem a identificação da pessoa) e ao qual for solicitada a opinião técnica estará também obrigado a confidencialidade.

É importante ser totalmente sincero e aberto na consulta de psicologia ou numa sessão de psicoterapia?

Sim, é fundamental. Os psicólogos não têm poderes mágicos e dependem da sua entrega e sinceridade para fazerem um bom trabalho.

Devo dizer ao psicólogo aquilo que senti na relação com ele?

Sim. A relação psicoterapêutica é em primeiro lugar uma relação entre duas pessoas. O psicólogo faz parte do "ambiente" que envolve a psicoterapia e a sua personalidade é determinante para o "encaixe" entre o cliente e o psicólogo. Poderá haver algo na sala de consulta, na personalidade do psicoterapeuta ou na sua forma de se comportar que lhe causa uma reação de menor à-vontade, deverá falar disso ao psicoterapeuta e investigar com ele os motivos profundos desse seu incómodo. Poderá ser algo muito simples como, por exemplo, o cliente preferir ser tratado pelo último nome e não pelo primeiro ou achar que a sala tem muita luz (ou pouca luz), ou achar que está frio ou calor, etc. Se o incómodo puder ser corrigido imediatamente o psicoterapeuta irá prontificar-se a fazê-lo. Mas se o mal-estar se dever a causas inconscientes e profundas, por exemplo, achar que o tom de voz do psicoterapeuta é irritante e parecido com o da mãe ou pai, então esse mesmo mal-estar será alvo de trabalho psicoterapêutico porque revela coisas sobre si. Em qualquer uma das situações deverá sempre dizer tudo aquilo que pensa a respeito do ambiente das consultas e do psicoterapeuta (enquanto técnico e enquanto pessoa).

Devo chamar a atenção ao psicólogo para determinada coisa que me incomoda na sala de consulta ou no próprio psicólogo?

Sim, sem dúvida. Sempre que sentir que algo o incomoda, irrita, perturba, etc., deverá falar disso ao seu psicoterapeuta para que possa, em conjunto com ele, perceber as causas profundas desse incómodo. O incómodo muitas vezes está relacionado com vivências anteriores que são "projetadas" na situação psicoterapêutica ou no próprio psicólogo.

O que devo fazer se sentir que não "encaixo" com o psicólogo?

Em primeiro lugar deve falar disso com o seu psicólogo ou psicoterapeuta e explicar-lhe, sendo o mais sincero possível, os motivos que o levam a sentir isso. Caso a falta de "encaixe" persista e entenda que a sua psicoterapia está a ser prejudicada por isso deverá contactar novamente os nossos serviços, expondo a situação. Tentaremos encontrar um outro psicoterapeuta que faça, consigo, um par mais sintónico.

O que é o contrato terapêutico?

O contrato terapêutico é o acordo que o paciente e o psicólogo fazem relativamente ao processo psicoterapêutico. Inclui o número de sessões por semana, o preço por sessão, a modalidade de pagamento, o horário estabelecido e as normas relativas às faltas e interrupções das sessões.

Porque os sofás em que o cliente e o psicólogo se sentam não estão exactamente frente-a-frente?

Os sofás ou cadeiras não estão deliberadamente frente-a-frente para que o cliente possa falar sem ter que olhar para o psicólogo. Olhar frente-a-frente pode, para algumas pessoas, ser intimidatório e criar desconforto. O ângulo em que os sofás estão colocados facilita a troca de olhares, mas não "obriga" a essa mesma troca. Aquilo que se pretende é que o ambiente da consulta seja o mais agradável e o menos intimidatório possível.

Qual a diferença entre um psicólogo e um psiquiatra?

Os psiquiatras são médicos e abordam as perturbações psíquicas considerando-as fruto de alterações bioquímicas cerebrais, pelo que prescrevem medicamentos como forma de ajudar o paciente a repor o seu equilíbrio psíquico. Muitos psiquiatras entendem que o psiquismo não se reduz à sua componente orgânica e fazem formação complementar em psicoterapia. Os psicólogos não são médicos e por isso não têm competências para prescrever medicamentos. A abordagem da psicologia considera que as perturbações psíquicas podem ser "tratadas" através da palavra ou de exercícios.

Muitas vezes, psiquiatras e psicólogos trabalham em parceria. Os psiquiatras medicam o paciente e garantem que do ponto de vista bioquímico a pessoa fica equilibrada e o psicólogo ajuda o paciente a pensar na sua vida e em si próprio tentando modificar a maneira como a pessoa lida com a realidade que vivencia.

Numa consulta de psicologia são prescritos medicamentos?

Numa consulta de psicologia nunca são receitados medicamentos. Se a pessoa pretende ser medicada deverá consultar um psiquiatra.

Porque são as psicoterapias tão longas?

Nem todas as psicoterapias são muito longas.

Por vezes, as psicoterapias são muito demoradas porque a mente humana não muda com facilidade. Todos nós nos habituamos a ver a vida de uma determinada forma e a sentir determinadas emoções como boas ou más. Os padrões base da personalidade podem estar alicerçados nas nossas experiências infantis e promover a modificação desses padrões é algo que demora muito tempo.

Devemos pensar na psicoterapia como sendo um espaço (uma espécie de ginásio para o pensamento e para as emoções) de reflexão e de contacto connosco próprio.

A vida atual é muito rápida e nós estamos sempre envolvidos em múltiplas situações que prendem a nossa atenção e que nos estimulam a olhar para outra coisa que não nós próprios.

Numa psicoterapia baseada na conversa, em cada sessão temos 50 minutos para olharmos para nós próprios, para a nossa vida, para as nossas emoções e tentarmos perceber se vivemos verdadeiramente aquilo que queremos e descobrirmos quem somos verdadeiramente.


Marcar consulta