Como é que falar do passado pode ajudar no presente?
Como é que falar do passado pode ajudar no presente?

Esta é uma das questões mais colocadas pelas pessoas em psicoterapia, sobretudo nas abordagens de cariz psicanalítico (ou dinâmico). É realmente uma pergunta muito pertinente e central para compreender como se opera a transformação emocional e modificação do comportamento!

 

Uma abordagem a esta questão pode ser tentar perceber melhor o que é o "passado".Neste sentido podemos distinguir sobretudo 2 "passados": um que foi plenamente vivido e está arrumado lá atrás (no passado cronológico), e outro que não foi plenamente vivido e resolvido e que continua activo e a influenciar o presente - é o "passado-presente", chamemos-lhe assim. Este "passado-presente" não é pois verdadeiramente passado porque, na verdade continua a manifestar-se, quer conscientemente, em primeiro plano na nossa percepção, quer mais ou menos inconscientemente (activo em segundo plano como um "programa de computador a correr por trás").

 

Falar deste "passado-presente" é, em última análise, falar do presente, do presente condicionado pelo passado, do presente repetitivo e não actualizado. Simplesmente, este presente condicionado dificilmente se compreende e se ultrapassa se não for abordado na sua origem, ou seja, falando do passado onde as reacções e atitudes que, no presente podem não ser adequadas, outrora tiveram a sua função e pertinência...


João Ferreira
Psicólogo Clínico
Psicoterapeuta - Psicanálise e Psicoterapia Psicanalítica
Psicoterapeuta - EMDR
Responsável pelo departamento de Atendimento à Distância
Co-Responsável da especialidade EMDR

2014-02-01
Ver mais artigos »

Marcar consulta