O que é?

A psiquiatria é uma especialidade médica que se ocupa do sofrimento psíquico e da saúde mental das pessoas.

A relação entre cérebro e mente tem sido uma questão muito debatida entre médicos, psicólogos e neurocientistas. Quando o cérebro é sujeito a um desequilíbrio – seja de origem biológica, psicológica ou psicossocial; seja uma desordem estrutural, anatómica ou de nível mais microscópico – é todo o indivíduo que sofre. O adoecer psíquico manifesta-se não apenas pelo sofrimento mental, mas também pelo sofrimento físico, por alterações no comportamento e na forma de relacionamento do indivíduo consigo mesmo, com os outros e com o mundo.

A psiquiatria é a área da medicina que se debruça sobre o adoecer psíquico, e pretende aliviar o sofrimento psíquico, tratar as doenças mentais e contribuir para que a pessoa retome o bem-estar, a qualidade de vida e o melhor nível de funcionamento pessoal e interpessoal possível.

 

Quando recorrer a uma consulta de Psiquiatria?

O recurso a uma consulta de psiquiatria pode ser feito por indicação de um médico de outra especialidade ou de um psicólogo. A pessoa em sofrimento psíquico também pode recorrer por iniciativa própria a uma consulta desta especialidade médica.

Algumas perturbações tratadas pela psiquiatria:

 

Como funciona?

O diagnóstico psiquiátrico é fundamentalmente um diagnóstico clínico elaborado pelo psiquiatra através da história clínica e da observação do paciente. Em alguns casos poderá ser necessário falar com familiares ou recorrer a exames complementares de diagnóstico (por exemplo análises ao sangue ou urina, TAC, avaliação neuropsicológica).

Após avaliação o psiquiatra comunica o seu parecer ao paciente sobre a existência de alguma doença ou perturbação que beneficie de tratamento com psicofármacos e acompanhamento em consulta de psiquiatria. Nalguns casos, a par do tratamento com medicação, o psiquiatra poderá recomendar o encaminhamento para psicoterapia.

O intervalo entre consultas depende do diagnóstico, do plano de tratamento adoptado, da resposta ao tratamento, do estádio de evolução da doença, bem como das características e circunstâncias individuais de cada paciente.

Algumas perturbações mentais têm cura enquanto outras são crónicas e apesar de serem tratáveis, persistem ao longo da vida. Por este motivo, a duração do seguimento depende da avaliação feita pelo psiquiatra, e pode ter de ser ajustada posteriormente.

O psiquiatra combina, caso a caso, com cada paciente, o intervalo entre consultas e sempre que possível, oferece uma perspetiva sobre a duração prevista do tratamento.

 

Qual a duração das sessões?

A duração das sessões não é rígida e depende da avaliação das circunstâncias do paciente a cada consulta – por exemplo, se é necessário interpretar ou prescrever exames complementares de diagnóstico, se houve agravamento sintomático ou se surgiram efeitos adversos resultantes da medicação, a consulta poderá ser prolongada.

Em regra, a primeira consulta tem a duração de 60 minutos e as subsequentes 30 minutos.

 

Honorários: 65€/ consulta

 


Marcar consulta